A Mídia: “Papa Francisco telefona para família de Marielle Franco” | OU | O Vaticano: “Não podemos confirmar nem negar”

A Mídia: “Papa Francisco telefona para família de Marielle Franco”

(.,.) O papa argentino decidiu ligar para a família de Marielle, de 38 anos, após receber uma carta da filha da vereadora, assassinada a tiros no Estácio, região central do Rio.

Negra, nascida e criada na favela da Maré, Marielle lutava pelos direitos de negros, mulheres e da comunidade LGBT e não hesitava em denunciar abusos policiais e criticar a recente intervenção militar ordenada pelo presidente Michel Temer.

Fonte, El País, grifo nosso:
https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/21/internacional/1521656463_055854.html

Fonte citada pelo El País, La Stampa:
http://www.lastampa.it/2018/03/21/vaticaninsider/ita/nel-mondo/il-papa-telefona-ai-familiari-di-marielle-franco-lattivista-assassinata-in-brasile-7G9PG9shjqRHRA4vjBnKjO/pagina.html

 

O Vaticano: “Não podemos confirmar nem negar”

Minha análise (retirada do site do Padre Augusto Bezerra)

Espero mesmo que ninguém tenha enganado a mãe dela, que é uma católica acídua, e fabricado uma situação para ganhos políticos. Se aconteceu, é lamentável e desumano demais.

Lembramos que todos os casos de telefonemas do Papa foram confirmados, mesmo que privados.

Na hipótese de inocentes terem sido enganados, a Sala de Imprensa foi compassiva. Na hipótese de ser verdade, o cenário de politização pode ter sido levado em conta para não legitimar grupos através da caridade do Pontífice para com a família ou simplesmente foi “impossível” confirmar mesmo todos trabalhando na Cidade do Vaticano bem ao lado do Papa.

De todo modo, a nota do diretor Greg Burke mostra uma sacada de mestre para a situação em qualquer das hipóteses e revela que há uma ciência de tudo que está envolvido na questão, principalmente o uso imoral de jogos políticos aproveitando-se do sofrimento de familiares e da morte da vereadora.

E é inegável que haja uma pré-campanha eleitoral da esquerda no Rio de Janeiro usando a memória da vereadora como bandeira e máquina de propaganda. O triste é saber que pessoas simples e ingênuas podem estar sendo enganadas, manipuladas, manobradas de uma maneira  totalmente desrespeitosa e maquiavélica.

Fonte, Padre Augusto Bezerra, grifo nosso:
https://padreaugustobezerra.com/2018/03/22/e-ai-o-papa-ligou-ou-nao-analise-da-nota-do-vaticano-sobre-a-chamada-do-papa-a-familia-de-marielle/

 

Como essa notícia foi distorcida

De fato, não há como saber até o momento se o Santo Padre realizou a ligação para a família de Marielle.

O Princípio da Caridade nos leva dar o crédito às pessoas e assumir que a ligação ocorreu. O Jornal Italiano usou como fonte a postagem da Andressa Caldas, Brasileira, que, conhecendo as pessoas da família, confirmou a ligação.

Diz uma outra notícia:

“Ela (Marinete, a Mãe) ficou tão emocionada que não entendeu muito o que ele falou. Ela contou que o Papa disse o nome de Marielle, prestou solidariedade e disse que estava rezando pela família”.

Dentro do cenário desenhado, no fim, é caridoso crer que o Santo Padre tenha ligado e desejado sentimentos à família. Só isso.

A distorção existe ao associar um gesto de caridade do Santo Padre, que todo católico precisa ter, com defender as bandeiras do PSOL: lobby LGBT, abortista, marxista e afins.

Fonte da Nota, Vatican News:
https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2018-03/sala-de-imprensa-santa-se-papa-francisco-telefonema-mae-marielle.html